Facebook RSS
magnify
Home Na estrada Os perigos da privação de sono do motorista
formats

Os perigos da privação de sono do motorista

Plano_UltraRodobens_04

Diversas pesquisas mostram que a sonolência ao dirigir é equivalente a dirigir alcoolizado. Para diminuir esse tipo de problema já existem diversos dispositivos para averiguar o nível de cansaço do motorista, para que ele faça a parada para descansar aumentando assim a segurança na estrada.

Existem muitas razões para um motorista ficar sonolento ao volante e as consequências podem ser devastadoras. A proporção de acidentes causados pelo cansaço dos condutores varia de um estudo para outro, mas normalmente gira entre 15% e 60%. As pesquisas também mostram que este tipo de acidente é muitas vezes mais grave do que as colisões causadas por outros fatores, já que os tempos de reação são retardados.

Para manter a atenção do motorista e alertá-lo sobre a necessidade de parar para descansar, a Volvo Trucks desenvolveu o Detector de Atenção (DAS), um sistema baseado em sensores que detectam quando o condutor está saindo do curso normal, mudando a direção do veículo. Se o motorista mostra sintomas de cansaço, tais como a condução errática ou irregular, o sistema envia um aviso sonoro e um sinal visual.

O organismo tem um ritmo biológico natural que faz com as pessoas  queiram dormir durante a noite. Como resultado, a qualidade do sono é pior quando você dorme durante o dia e o cansaço é maior entre às 4h e 6h da manhã.

O cansaço excessivo durante o dia pode decorrer de exaustão frequente, devido ao trabalho por turnos ou ao sono insuficiente. Consulte um médico caso suspeite que existam causas patológicas para sua sonolência diurna.

Estudos demonstram que é possível armazenar o sono. Obter um bom descanso antes de partir para uma longa viagem é uma boa ideia.

Para ler mais notícias, clique em blog.minasmaquinas.com.br  . Informações sobre a  Minasmáquinas visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook .

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
No Comments  comments 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *