Facebook RSS
magnify
Home Eventos Levantamento mostra que caminhoneiros se alimentam mal
formats

Levantamento mostra que caminhoneiros se alimentam mal

caminhão2O Rota Cidadã realizou um levantamento prévio em Lucas do Rio Verde que mostra que os caminhoneiros se alimentam mal. O programa, faz uma avaliação das condições físicas e de saúde dos profissionais da estrada, e foi realizado no pedágio da rodovia MT 449. Mais de 180 caminhoneiros foram abordados pela equipe do programa e aceitaram passar pelas avaliações. Desse grupo, mais de 100 apresentou alterações no nível de triglicérides no organismo.

O chefe do núcleo de acidentes e medicina rodoviária da Polícia Rodoviária Federal, Alessandro Dorileo, disse que esse dado é preocupante. O descontrole desse índice pode ocasionar nos motoristas desenvolver outros fatores de risco para doenças associadas ao aumento dos triglicérides, como obesidade, colesterol alto e pressão alta (hipertensão arterial). Ele adverte que essa gordura acumulada no sangue, resultado de uma alimentação baseada no consumo excessivo de massa, pode provocar infarto ou acidente vascular cerebral.

Alessandro ressalta que o Rota Cidadã é importante, pois nem todos os motoristas possuem planos de saúde e fazem avaliações periódicas das suas condições de saúde. Esse grupo passa a desenvolver doenças que não apresentam sintomas, como diabetes e problemas cardíacos. “E eles vão levando até que possa acontecer um mal maior, que é o mal súbito na rodovia, que causa acidentes, causa mortes, e é isso que queremos evitar”, explicou.

Os dados apurados pelas equipes que participaram do Rota Cidadã foram encaminhados para o Núcleo de Acidentes e Medicina Rodoviária no Estado. Essas informações permitirão que programas específicos sejam criados para combater os problemas detectados.

Para ler mais notícias, clique em blog.minasmaquinas.com.br  . Informações sobre a  Minasmáquinas visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook .

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
No Comments  comments 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *